Tudo sobre Tomar e arredores
Comentar
Publicado por Luís Ribeiro, em 12.11.09 às 23:27Link do artigo | | favorito

O Convento de Cristo, histórico monumento na cidade de Tomar, situado na freguesia de S. João Baptista, classificado em 1983 pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade, pertenceu à Ordem dos Templários. Fundado em 1162 pelo Grão-Mestre dos Templários, D. Gualdim Pais, o Convento de Cristo ainda conserva os sinais, os símbolos, as recordações da intensa presença desses monges cavaleiros e dos seus herdeiros, a Ordem de Cristo, os quais fizeram deste edifício a sua sede.

 

Foi com este texto, que o autor do "Nabantia" começou mais uma excelente série, a "História Concisa do Convento de Cristo".

 


Comentar
Publicado por Luís Ribeiro, em 11.11.09 às 18:52Link do artigo | | favorito

"A Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, mais conhecida como Ordem dos Templários, é uma Ordem de Cavalaria criada em 1118, na cidade de Jerusalém, por nove cavaleiros de origem francesa, entre os quais Hugo de Payens e Geoffroy de Saint-Omer, com o objectivo de defender os interesses e proteger os peregrinos cristãos na Terra Santa. Sob a divisa Non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam (Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao Vosso nome dai a glória), tornou-se nos séculos seguintes numa instituição de enorme poder político, militar e económico. Inicialmente, as suas funções limitavam-se à proteção dos peregrinos que se deslocavam aos locais sagrados, nos territórios cristãos conquistados na Terra Santa, durante o movimento das Cruzadas."

 

Assim foi o início da segunda série publicada sobre Histórias Concisas no "Nabantia". Pode ler esta na íntegra aqui.


Comentar
Publicado por Luís Ribeiro, em 10.11.09 às 11:32Link do artigo | | favorito

Único, deslumbrante e que vale a pena ver, é o conjunto de "Fotos e Gravuras Antigas de Thomar", no "Notas" de Alfredo Caiano Silvestre.

 

 

Torre e Igreja de Santa Maria dos Olivais

 


Comentar
Publicado por Luís Ribeiro, em 10.11.09 às 10:42Link do artigo | | favorito

"História Concisa de Tomar", iniciada a 30 de Novembro de 2007, foi a primeira de várias séries publicadas no "Nabantia".

 

"A história de Tomar remonta a épocas bastante recuadas, sendo que o vale do Nabão, apresenta vestígios de povoamento que remontam ao período Paleolítico, a idade da pedra lascada. A fixação humana na região, há mais de 30 mil anos, deveu-se certamente ao excelente clima, a água abundante, fácil comunicação fluvial e excelentes solos. Das sucessivas marcas civilizacionais pré-históricas restam utensílios, grutas, antas, povoados, algumas lápides, moedas, poucas esculturas, peças utilitárias, a lenda de Santa Iria, a toponímia, as rodas de rega e os açudes de estacaria."

 

Foi assim que comoeçou esta magnífica série que vale a pena relembrar, ler e reler.


Comentar
Publicado por Luís Ribeiro, em 28.04.09 às 08:34Link do artigo | | favorito

Tomar, conta com um vasto património, mas também com figuras que de alguma forma fizeram história e que a nível mundial, nacional ou local jamais serão esquecidos. No Tomar, a Cidade, existe uma breve biografia dessas figuras marcantes na história.

 

 

Fernando Lopes-Graça


Comentar
Publicado por Luís Ribeiro, em 27.04.09 às 19:27Link do artigo | | favorito

Eis aqui uma súmula das notas publicadas por João dos Santos Simões, publicada no jornal "O Templário" de 1952, acrescida de mais alguns elementos apurados.

Conheça a imprensa de Tomar, a partir do ano longínquo de 1880, através, principalmente, duma compilação de Fernando Araújo (Nini) Ferreira

 

No Tomar,a Cidade!

.

.


Comentar
Publicado por Luís Ribeiro, em 25.03.09 às 19:03Link do artigo | | favorito

Em Tomar se fez, muitas vezes, a História do mundo ocidental. Logo no século XII chegaram os místicos Cavaleiros Templários, guerreiros do Cristianismo na Terra Santa e na Península Ibérica, os primeiros banqueiros na Europa.
Guardiões do Tejo, a primeira linha de defesa contra o sul muçulmano, espalharam castelos pelos seus domínios de Pombal a Castelo Branco, mas era Tomar a cabeça do território.
Construído o castelo, Mestre Gualdim Pais inspira-se nos seus tempos de cruzado na Terra Santa para erguer a Charola, essa espantosa síntese do ocidente cristão com a cultura oriental. A igreja, quase torre de menagem, é considerada a mais bela e preservada construção religiosa erguida pelos Templários na Europa.
Foi também o Mestre Templário que ergueu o romanesco Castelo de Almourol, construído no espantoso cenário de uma ilha no Tejo, e ainda a torre da aldeia medieval de Dornes, com a sua estranha arquitectura de cinco faces enquadrada pela beleza do Zêzere.
A enorme riqueza e poder da Ordem do Templo acabou por a fazer cair em desgraça.
Perseguidos na Europa, Tomar acabou por ser o último reduto dos Templários, transformados em Ordem de Cristo.

 


Comentar
Publicado por Luís Ribeiro, em 21.01.09 às 19:25Link do artigo | | favorito

A Igreja Santa Maria do Olival, templo gótico de meados do século XIII, foi construído no sítio da antiga igreja templária erguida por D. Gualdim.
O Panteão dos Mestres Templários foi sede de nullius diocesis com jurisdição sobre as igrejas dos Descobrimentos. A interessante estrutura espacial de três naves serviu de modelo à igreja de São João Baptista e a outras igrejas do gótico final português.
No exterior, destaca-se a magnífica rosácea, a torre de atalaia adaptada a campanário, e a loggia do século XVI; no interior, a lápide de Gualdim Pais, o túmulo de D. Diogo Pinheiro e as imagens Nossa Senhora do Leite e Santas Mães.

C.M.T.

 

 


Comentar
Publicado por Luís Ribeiro, em 20.01.09 às 19:00Link do artigo | | favorito

A Charola era o oratório dos Templários no princípio do séc. XII. Esta apresenta uma estrutura compacta cilíndrica com grandes traços de influência oriental, esta influência foi trazida pelos cavaleiros da Ordem do Templo das passagens que tiveram por terras orientais (Cruzadas).

 

O centro da Charola é composto por 8 colunas, sendo 4 delas suportes de 2 Santos. Aqui encontra-se o túmulo de D. Lopo Dias de Sousa, que foi governador da Ordem de Cristo.

Na decoração da Charola encontramos motivos na estrutura do tambor central, pinturas na abóbada anelar, pinturas murais no segundo andar do tambor, que representam instrumentos da Paixão de Cristo, esculturas em madeira e um conjunto da Virgem com S. João Evangelista.

Info Tomar

 

Charola, Convento de Cristo - Tomar


Comentar
Publicado por Luís Ribeiro, em 19.01.09 às 19:01Link do artigo | | favorito

O plano da cidade medieval organiza-se em cruz com os 4 braços apontando os 4 pontos cardeais marcados pelos 4 conventos da cidade. O centro, onde se situam a Câmara Municipal e a Igreja Matriz, é a Praça da República, a partir da qual irradiam os principais edifícios públicos e religiosos: a sul, a Sinagoga, o antigo Hospital da Misericórdia,o Convento de S. Francisco e o antigo Rossio da Vila; a norte, a sede da Assembleia Municipal, as capelas de S. Gregório e da Senhora da Piedade e o antigo Convento da Anunciada; a oeste, a colina do Castelo, a Ermida da Senhora da Conceição e o Convento de Cristo; a leste, a Ponte, as antigas Moagens e Moinhos da Vila, o Convento de Santa Iria, a saída para a Igreja de Santa Maria do Olival e zona escolar da cidade, com o Instituto Politécnico a rematar. Perseguindo esta geometria simbólica, é interessante constatar que, com centro na igreja manuelina, à Praça da República, se gera a circunferência que une a Charola do Convento (oratório templário) aos Conventos da Anunciada, de Santa Iria e de S. Francisco. Eis, assim, o círculo, qual espaço sagrado!, dentro do qual se desenvolveu  Tomar.

C.M.T.

Tomar, Praça da República


Tempo em Tomar
pesquisar
 
Twitter
Descobertas arquivadas
pesquisar
 
Sobre mim
Technorati
Add to Technorati Favorites
Twingly
Twingly BlogRank
PT Moblig
Top de Blogues
blogs SAPO